Inscreva-se
Conheça nossos cursos

Mercado de Trabalho

Desligamento humanizado: conheça o processo de outplacement

Enem

Quais são os principais problemas ambientais? [Biologia no Enem]

Mercado de Trabalho

Desligamento humanizado: conheça o processo de outplacement

Por EAD UNIFSA em Jun 29, 2022 12:15:00 AM | 14 min de leitura

Você já ouviu falar no outplacement? Embora ainda não seja adotado amplamente, este é um processo que vem ganhando destaque por tornar o desligamento muito mais humanizado. 

Ser desligado de uma empresa é sempre uma situação complicada. 

Para o ex-funcionário pode ser uma experiência de ansiedade e incerteza, e para o ex-empregador é um momento complexo. 

Por isso, surgiu no mercado uma abordagem mais humanizada do desligamento. O outplacement vem como uma maneira de a empresa tornar o processo menos traumatizante. 

Na abordagem, a empresa ajuda o ex-funcionário a se preparar para o desligamento e recolocação no mercado. 

Neste artigo, vamos conversar sobre o que é o outplacement, como funciona e quais são vantagens para o ex-funcionário e empresa. 

Você vai conferir:

O que é outplacement?
Vantagens do outplacement para o colaborador
Comecei o processo de outplacement no meu trabalho. E agora?
Conclusão

New call-to-action

O que é outplacement? 

O outplacement nasceu como uma abordagem que busca amenizar o processo de demissão de uma empresa, instruindo e capacitando os colaboradores desligados. 

Essa metodologia visa que os ex-funcionários, especialmente aqueles que estão há muito tempo na empresa, consigam se recolocar profissionalmente e que o desligamento não o abale. 

O principal objetivo de implementar o outplacement é ajudar o ex-funcionário a se recolocar no mercado de trabalho após a demissão. 

Isso envolve desenvolver seu autoconhecimento, ensiná-lo a lidar com entrevistas, construir um bom perfil de LinkedIn e montar um currículo atraente. 

Confira algumas das ações do outplacement: 

  • Dar apoio emocional e psicológico ao ex-colaborador; 
  • Ajudá-lo a compreender seus objetivos profissionais e pessoais; 
  • Envolvê-lo em treinamentos, palestras e workshops sobre empregabilidade; 
  • Ajudá-lo a reestruturar seu currículo e pesquisar vagas ideais. 

Empresas que adotam o outplacement normalmente contam com a ajuda de um profissional ou empresa terceirizada especializada na metodologia. 

E além de ser uma vantagem para o funcionário, o outplacement também apresenta vantagens para a empresa que o aplica. 

Isso porque, com ele, a organização consegue diminuir o impacto do desligamento em sua estrutura e melhora o clima organizacional. 

Diferença entre outplacement e replacement 

A principal diferença entre outplacement e replacement é a situação em que os dois ocorrem. 

O outplacement, como vimos acima, é um processo que acontece dentro de uma empresa para ajudar ex-colaboradores a lidarem com o processo de desligamento. 

Por sua vez, o replacement é um processo que visa um profissional que está fora do mercado a se inserir novamente. 

No caso do outplacement, a contratação da metodologia é feita pela empresa, enquanto no caso do replacement é mais comum que o próprio funcionário o faça. 

Vantagens do outplacement para o colaborador 

Agora que você já sabe o que é o outplacement, e a diferença entre ele o replacement, vamos conversar sobre as vantagens que ele apresenta para o colaborador. 

Sabemos como o momento de uma demissão pode ser traumatizante para um funcionário, especialmente quando a economia se encontra em uma situação delicada. 

Então, a maior vantagem desse processo é a esperança e a humanização que traz. 

Seguindo o outplacement, a empresa não teria um processo frio de desligamento, onde o funcionário é chamado pelo RH, desligado e fica sem saber como se recolocar.

Desligamento humanizado conheça o processo de outplacement

Existe esperança verdadeira no processo porque o funcionário será treinado para a recolocação.

Estima-se que colaboradores que passam pelo outplacement tem muito mais chances de se recolocarem do que aqueles que não tem esse benefício. 

Existe também a compreensão de que este é um momento difícil e que, em vez de deixar seu ex-funcionário desamparado, a empresa fará sua parte. 

Além disso, o próprio colaborador desligado consegue ver os benefícios porque terá apoio e uma parte importante do outplacement: a construção de sua confiança para participar de novos processos seletivos e se atualizar enquanto profissional. 

Comecei o processo de outplacement no meu trabalho. E agora? 

Parte importante do processo de outplacement é que a empresa dará um apoio para que o ex-funcionário não se encontre desamparado no desligamento. 

Porém, se atualizar enquanto profissional e buscar novas oportunidades não deve ser uma responsabilidade apenas da organização. 

É preciso que o próprio funcionário desligado tome frente ao processo e aproveite a oportunidade para se reinventar. 

Pensando nisso, trouxemos aqui algumas dicas de como você pode tomar as rédeas da sua carreira e construir um futuro promissor durante o processo de outplacement. Confira: 

  • Construa uma rede de contatos, o famoso networking: se enquanto trabalhava na empresa você não construiu sua rede, este é o momento. Uma rede de contatos é algo com que você pode contar para encontrar oportunidades de recolocação, trocar experiências e construir conhecimentos. Você pode construir sua rede com a ajuda do LinkedIn, por exemplo, lembrando sempre de que o importante é nutrir essa rede. 
  • Atualize seu currículo, deixando-o objetivo e atraente: é através do seu currículo que novas empresas conhecerão você, então é preciso de que o seu currículo esteja completo e que seja atraente para a vaga na qual você se candidatou. Algumas boas dicas são: não deixe seu CV comprido demais e adéque-o a cada vaga encontrada. 
  • Busque por empresas que combinem com você: quando estiver procurando novas empresas para se candidatar, busque aquelas que mais combinam com seu perfil profissional e com os seus objetivos. Um ótimo filtro, especialmente se você tem mais de 50 anos, é buscar por meio do GPTW. 
  • Atualize os seus conhecimentos: sabemos que quando ficamos em uma mesma posição ou fazendo a mesma função por algum tempo, nossos conhecimentos acabam ficando estanques. Então, uma ótima iniciativa de se ter neste momento é buscar se atualizar, seja com cursos livres ou uma especialização na área. 

E caso você passe pelo processo de outplacement e, mesmo assim, não conseguir se recolocar, não desanime. 

Essa pode ser a oportunidade que você precisava para repensar sua carreira e seus objetivos e, talvez, buscar uma alternativa para a sua vida profissional. 

Conclusão 

Esperamos que, ao chegar ao final deste conteúdo, você tenha conseguido entender o que significa o processo de outplacement e quais são as vantagens para o profissional desligado. 

Aproveitamos este espaço para convidar você a conhecer a Pós +Carreira EAD UNIFSA! 

Como dissemos acima, se você está buscando recolocação, a atualização profissional é um passo certeiro. Ainda mais se ela for multicertificação, como a Pós-Graduação EAD UNIFSA. 

No formato +Carreira, além do aprofundamento na sua área de atuação, você também tem acesso ao desenvolvimento de habilidades e competências. 

Conheça nossos mais de 110 cursos de especialização nas áreas de negócio, educação, saúde, tecnologia e direito neste link. 

Leia também:

Comece sua graduação EAD agora mesmo! Inscreva-se grátis.

Mercado de Trabalho

Veja mais conteúdos da UNIFSA sobre EAD e educação

Por que o profissional T-shaped é tão valorizado no mercado

Você sabe o que é um profissional T-shaped? Esse perfil é cada vez mais procurado pelas empresas e recrutadores porque ...
5 min de leitura

8 empresas que se destacam no mercado com ações socioambientais

Sustentabilidade e desenvolvimento social não são uma moda passageira. Eles já impactam os processos de organizações de ...
23 min de leitura

O que é Economia Criativa e como trabalhar na área

A economia criativa é um setor da economia relacionado ao entretenimento e à cultura. 
14 min de leitura
Ver mais conteúdossobre Mercado de Trabalho