Inscreva-se
Conheça nossos cursos

Mercado de Trabalho

Entrevista de Emprego: quais as perguntas mais frequentes dos recrutadores?

Mercado de Trabalho

8 empresas que se destacam no mercado com ações socioambientais

Mercado de Trabalho

Entrevista de Emprego: quais as perguntas mais frequentes dos recrutadores?

Por EAD UNIFSA em Jan 20, 2021 12:00:00 AM | 7 min de leitura

Você já parou para pensar sobre quantas vezes mudará de emprego ou até mesmo de profissão ao longo da vida?

Gostando ou não, é necessário que o profissional do século XXI saiba que vivemos uma época em que os ciclos profissionais são cada vez mais curtos, e mudanças de função, empresa e até mesmo área de atuação são bem frequentes.

Um artigo da revista Forbes, inclusive, aponta as razões de as pessoas bem-sucedidas mudarem de emprego com frequência, seja no trabalho presencial ou no home-office.

Exemplos como os dos nossos pais e avós, que trocavam de emprego pouquíssimas vezes no decorrer da vida são raros nos tempos atuais.

Diante deste cenário, é importante saber o que os recrutadores buscam hoje em dia, quais os perfis que se saem melhor nas entrevistas de emprego e quais as perguntas mais frequentes nos processos seletivos das empresas.

Se você está interessado em saber mais sobre este assunto, continue a leitura deste artigo até o fim e aprenda algumas dicas que podem ser úteis na sua próxima entrevista de emprego.

New call-to-action

Como se portar numa entrevista de emprego?

Digamos que você foi finalmente chamado para uma entrevista naquela vaga de emprego que tanto sonhava.

Passada a euforia por ter o currículo entre os selecionados, surge a pergunta: como devo me comportar para convencer o recrutador de que eu mereço esta vaga?

Este questionamento se passa na cabeça de milhares de pessoas todos os dias.

Embora não exista uma fórmula mágica e infalível, é possível se preparar para que no dia da entrevista, você consiga deixar uma boa impressão nos recrutadores, enaltecendo suas virtudes e diferenciais.

Em um artigo publicado no site Toda Carreira, a gestora de recursos humanos Elisângela Dias dá algumas dicas úteis para quem se prepara para um processo seletivo.

  • Estude seu Currículo: é fundamental que o candidato conheça bem o currículo enviado aos recrutadores, quais foram os aprendizados de experiências passadas, erros e acertos, além de uma análise de sua carreira. Isso dará segurança na hora de contar a trajetória, sendo mais fácil de “vender o peixe” ao contratante.
  • Esteja atento à sua comunicação verbal: tão importante do que ter o que dizer é como você vai se expressar. A comunicação verbal precisa ser clara, transmitindo confiança. Mas cuidado para não parecer arrogante nas respostas. Tente usar um tom de voz adequado, nem alto nem baixo. Seja otimista e tente busque a objetividade e concisão nas respostas.
  • Analise sua personalidade: não tente impressionar sendo alguém que você não é. Se o seu perfil é mais introvertido, não se comporte de forma extrovertida demais. Isso pode gerar uma imagem artificial e ser mal interpretada pelo recrutador.
  • Não minta em hipótese alguma: mesmo quando o recrutador questionar pontos delicados de sua carreira, como uma demissão, tente trazer algo positivo e o aprendizado a partir dessa experiência. Mentir nesses casos pode gerar alguma contradição durante a entrevista, e se for percebida por quem estiver recrutando, pode ocasionar a eliminação da seleção.
  • Só fale o necessário: muitas vezes, a ansiedade faz com que o candidato fale mais do que o necessário, interrompendo o entrevistador e sendo deselegante. Isso pode prejudicar na seleção.
  • Cuide da comunicação não-verbal: já ouviu a expressão “o corpo fala”? Em uma entrevista de emprego, o nível de tensão envolvida pode fazer com o que o candidato tenha movimentos involuntários e comprometa seu desempenho. Tente manter a coluna e ombros eretos, respire fundo, fale olhando nos olhos, sorria de forma natural, seja espontâneo.

Evite olhar para o relógio ou celular durante a entrevista. Isso pode passar uma impressão negativa para quem estiver entrevistando.

entrevista de emprego

Quais as perguntas mais comuns em entrevistas de emprego?

Agora que você já sabe como se portar diante de um recrutador, deve estar vindo à tona a dúvida: quais as perguntas mais frequentes numa entrevista de emprego?

Como dissemos anteriormente, é difícil precisar como será o comportamento de quem estará fazendo a entrevista, entretanto é bom se preparar para alguns questionamentos que aparecem com frequência durante as seleções.

A partir deles, você poderá fazer um exercício de autoconhecimento, que ajudará a expressar aquilo que quer dizer quando estiver sendo entrevistado.

Confira algumas perguntas que aparecem com frequência nas entrevistas de emprego.

- “Fale um pouco sobre você”

Falar sobre si não é uma tarefa fácil, mas é a oportunidade de você expor suas qualidades, experiências e características que podem se encaixar com o perfil da vaga. A dica aqui é manter a calma, falar a verdade e deixar vir à tona o que há de melhor nos seus atributos.

- “Como soube da vaga?”

Essa é oportunidade de reforçar o interesse na vaga. Seja sincero, diga a verdade, mas tente reforçar que está disposto a entrar na empresa. Por exemplo: “soube da vaga por indicação de um amigo. Fiquei entusiasmado, pois é a chance de entrar em uma empresa referência”.

- “Por que você quer esse emprego?”

Nesta hora, é bom mencionar seu alinhamento com o propósito, valores e missões da empresa. Evite falar sobre o salário e benefícios na resposta. Lembre-se que a remuneração é a contrapartida da empresa para com seu esforço e contribuição.

- “Quais seus pontos fortes?”

Diante desta pergunta, tente ser honesto e mostre quais das suas qualidades podem ser úteis dentro do contexto da empresa. Evite de entrar em aspectos da vida pessoal. Se você é uma pessoa proativa, por exemplo, traga essa característica na resposta.

- “Quais seus pontos negativos?”

Esse ponto merece atenção, pois é a oportunidade de falar sobre algo seu que deva ser melhorado. Deixe claro que você reconhece este defeito e está comprometido em melhorar. Falta de atenção é um bom exemplo. Mas tenha cuidado para não falar muito sobre isso sob o risco de ser eliminado do processo seletivo.

- “Por que devo contratar você?”

Este é o momento em que você deve juntar todas as suas habilidades que tenham a ver com a vaga e enaltecê-las, com o objetivo de convencer o recrutador que as suas competências estão alinhadas às necessidades da empresa e que você é a pessoa certa para ser contratada. Apenas tome cuidado para não exagerar na argumentação e falar algo que não deve.

- “Qual sua pretensão salarial?”

Antes da entrevista, é importante pesquisar quanto as empresas pagam para profissionais na vaga que você almeja. Calcule se essa remuneração é justa e se atende às suas necessidades. Tente descobrir se a empresa oferece benefícios (plano de saúde, vale alimentação, refeição, etc) e avalie um valor que não fuja da realidade do mercado. Seja honesto na resposta, sem a necessidade de justificar o que você entende ser a remuneração mais adequada.

-“Por que você quer sair de onde está para trabalhar conosco?”:

Mais uma vez, seja honesto e tente deixar claro que sua busca por uma nova oportunidade tem a ver com a identificação que você tem com o propósito da empresa. Evite falar mal de onde trabalha atualmente, demonstre gratidão pelo crescimento adquirido no desafio profissional do qual você está saindo.

Essas são algumas das perguntas mais comuns em entrevistas de emprego, mas tantas outras podem aparecer, especialmente no que diz respeito a detalhes da profissão e questionamentos técnicos.

Por isso, é importante que o seu currículo seja condizente com a realidade. Evite mencionar atribuições as quais você não possui ou tem um conhecimento muito básico.

Se o recrutador identificar que ali existe um descompasso entre o que você sabe e o que mencionou saber, é possível que este ponto resulte em uma eliminação da seleção.

Lembre-se que transparência e verdade são fundamentais, e que mentir é proibido em seleções.

Como montar um currículo?

O currículo deve ser um retrato da sua vida profissional, com ênfase na área em que pretende atuar ou que mais tenham a ver com a vaga que deseja conseguir.

É importante ser claro e objetivo na hora de escrever o CV, descrevendo de maneira correta sua trajetória. Evite colocar detalhes desnecessários, que podem mais atrapalhar do que ajudar na hora de o recrutador analisar sua experiência. 

O site Catho dá as seguintes dicas para quem está montando o currículo:

  • O documento deve ter no máximo duas páginas com todas as informações necessárias para o cargo;
  • Foto somente se for pertinente à vaga, a imagem deve ser de boa qualidade e com formato profissional;
  • Para o 1° emprego é importante ressaltar experiências obtidas na faculdade, estágios, cursos, trabalhos voluntários, habilidades e aptidões;
  • Não há necessidade de falar de suas qualidades pessoais, dizer que é dinâmico tem bom relacionamento interpessoal, por exemplo. Essas características serão avaliadas durante o processo seletivo.

equipe de rh

A importância de uma graduação

Um dos pontos mais importantes no currículo é a graduação. É ela que determina em que colocação e faixa salarial dentro da empresa um profissional pode estar.

Uma pessoa com ensino superior, no Brasil, ganha mais do que o dobro num comparativo com profissionais de nível médio.

Se você está em busca de uma graduação, mas não tempo para ir à universidade, recomendamos que você conheça os cursos EAD e semipresenciais do UNIFSA.

A flexibilidade do ensino a distância é um fator determinante para que alguém que já trabalha possa se dedicar ao sonho de fazer uma faculdade, obter um diploma e ter a chance de participar de seleções para cargos mais valorizados.

Isso sem falar no crescimento pessoal e intelectual que um curso superior dá ao natural para quem se dedica a também a ter uma rotina de estudos.

Conheça os cursos oferecidos e comece já uma transformação em sua vida.

Mercado de Trabalho

Veja mais conteúdos da UNIFSA sobre EAD e educação

8 empresas que se destacam no mercado com ações socioambientais

Sustentabilidade e desenvolvimento social não são uma moda passageira. Eles já impactam os processos de organizações de ...
23 min de leitura

O que é Economia Criativa e como trabalhar na área

A economia criativa é um setor da economia relacionado ao entretenimento e à cultura. 
14 min de leitura

Millennials e Geração Z: o que o profissional de marketing precisa saber

Nos últimos anos, muito se tem ouvido sobre Millennials e Geração Z. Mas você sabe como esses dois grupos afetam a ...
16 min de leitura
Ver mais conteúdossobre Mercado de Trabalho