Inscreva-se
Conheça nossos cursos

Mercado de Trabalho

Por que o profissional T-shaped é tão valorizado no mercado

Enem

Quais são os principais problemas ambientais? [Biologia no Enem]

Mercado de Trabalho

Por que o profissional T-shaped é tão valorizado no mercado

Por EAD UNIFSA em Jul 19, 2022 5:28:42 PM | 5 min de leitura

Você sabe o que é um profissional T-shaped? Esse perfil é cada vez mais procurado pelas empresas e recrutadores porque é capaz de agregar diversas características positivas para um ambiente de trabalho.

Neste artigo, reunimos as principais características desse profissional e algumas dicas de como você pode se tornar um. Confira!

As características de um profissional T-shaped

Uma das principais características do profissional T-shaped é a empatia.

Cada vez mais se faz presente o entendimento de que a produtividade dentro de qualquer empresa está ligada diretamente com o quão as relações dentro dela são humanizadas — independentemente se os colaboradores convivem dentro da instituição ou seguem na jornada de trabalho em home office.

O profissional T-shaped, além de empático, consegue com facilidade unir as soft skills, ou seja, as suas habilidades sociais e emocionais, com as hard skills — as aptidões técnicas que ele adquire ao longo do tempo.

Dessa maneira, ele consegue se tornar alguém que resolve problemas e que entende tanto os conflitos operacionais quanto os humanos do seu local de trabalho.

Quando alia os conhecimentos mais gerais com algumas investigações mais profundas, esse profissional desenvolve um conjunto único de habilidades, competências e características que concedem a ele uma visão mais criativa e eficiente do processo corporativo.

Entre elas, é possível citar:

  • Adaptabilidade;
  • Flexibilidade;
  • Trabalho em equipe;
  • Capacidade de trabalhar sob pressão;
  • Bom relacionamento interpessoal;
  • Escuta ativa;
  • Quebra do conceito de zona de conforto;
  • Objetivos profissionais bem definidos e planejados;
  • Constante autoavaliação;
  • Lifelong learning — ou seja, estar sempre disposto a aprender e não parar de estudar nunca.

O que profissionais em T podem agregar às empresas

Além de todas as habilidades mencionadas acima, que fazem com que profissionais T-shaped agreguem muito valor a qualquer empresa, eles também são valorizados devido à segurança e à autonomia que oferecem para processos — tanto internos quanto externos.

Isso acontece porque o profissional em T possui uma visão bastante macro da área em que o negócio está inserido. Sendo assim, ele consegue ser capaz de adaptar toda a sua comunicação para lidar com qualquer outro colaborador, independentemente da posição ou setor que eles ocupam.

Além disso, por conhecer todos os processos de uma maneira mais abrangente, esse tipo de profissional consegue ser independente dos demais membros do time com quem trabalha. Inclusive, ele pode até substituir outros colaboradores e realizar as funções necessárias em caso de alguma emergência.

O profissional T-shaped também entende que é preciso quebrar as fronteiras que existem entre as disciplinas e, além disso, que é necessário aplicar uma abordagem mais multidisciplinar nas relações de trabalho e interpessoais.

Por esse motivo, acaba sendo um colaborador com perfil extremamente desejado que pode agregar muito a qualquer empresa — e é o que os recrutadores mais procuram em uma entrevista de emprego.

New call-to-action

Como se tornar um profissional T-shaped

Agora que você já conhece as características de um profissional T-shaped, precisa descobrir como se tornar um para alcançar melhores oportunidades profissionais.

Confira algumas dicas a seguir.

1. Liste as habilidades que você já tem

O primeiro passo para se tornar um profissional em T é analisar as habilidades que você já tem e avaliar o seu nível de proficiência em cada uma delas.

Você pode separá-las em algumas categorias, como:

  • As que você já começou a aprender sobre elas, mas acredita que esse conhecimento ainda é um pouco raso;
  • Aquelas sobre as quais ainda precisa de um guia de estudos, mas já consegue exercer algumas funções que dependam delas;
  • As que você se sente mais competente e entende que já passou pelos conhecimentos mais básicos sobre elas, mas ainda precisa aprender como aplicar de maneira mais prática nas funções que desempenha no dia a dia;
  • As que você se sente mais profissionais, consegue fazer mais com ela do que outras pessoas, mas ainda não é especialista — e acaba ficando em dúvida do que fazer em algumas situações;
  • Aquelas em que você se considera um especialista e consegue trabalhar com ela de forma muito intuitiva e natural.

No momento em que fizer a sua lista de competências, lembre-se de que também é interessante adicionar a ela as suas soft skills, ou seja, as suas habilidades comportamentais.

Esse também pode ser um ótimo momento para colocar as que achar mais interessante no seu perfil do LinkedIn.

2. Decida o que fazer com cada uma delas

Depois de ter listado as habilidades que você já tem, assim como aquelas que você acredita serem importantes para o seu desenvolvimento profissional — bem como o nível de proficiência e aprendizado em cada uma —, precisa separá-las em algumas listas.

Liste quais você se sente confortável em manter como estão, as que sente que precisa adicionar e, por último, aquelas nas quais você realmente deseja se aprofundar.

Enquanto avaliava o nível de cada uma das habilidades que listou, provavelmente você já pensou sobre algumas em que deseja ser melhor do que já é. Em relação a elas, comece a pesquisar um pouco mais a respeito para entender como pode aprimorá-las.

Já com outros conhecimentos, pode ser que se sinta insatisfeito com o nível de aprendizado atual – e não tem problema nenhum nisso.

Lembre-se de que isso faz parte de se tornar um profissional T-shaped. Você não será especialista em tudo — o que seria impossível — e, por isso, é preciso exercitar o autoconhecimento para escolher quais competências vai se especializar e em quais o conhecimento será um pouco mais superficial.

3. Teste muito

Depois de ter dividido as suas habilidades nas categorias sugeridas, pode ter ficado com a sensação de que não tem muita certeza se fez as escolhas certas. Então, o ideal é testar. Para isso, uma boa ideia é começar a aprender o básico sobre algumas delas e descobrir quais são mais interessantes depois desse contato inicial.

Somente a partir desses testes que você começará a entender em quais áreas de conhecimento vale mais a pena investir mais do seu dinheiro e do seu tempo.

Nessa etapa, também é indicado avaliar com mais atenção a habilidade em que você cogita se especializar para entender se ela oferece campos de especialização o suficiente e quais dentro deles são mais úteis para você.

4. Continue aprendendo

Por mais que você saiba que não vai conseguir aprender sobre todos os assuntos de maneira mais aprofundada, lembre-se de que um bom repertório e conhecimentos em cultura geral são fundamentais para qualquer pessoa. Isso vale tanto para o seu desenvolvimento profissional quanto para o pessoal.

Uma ótima maneira de continuar aprendendo é investir em uma pós-graduação EAD. Hoje em dia já é possível encontrar cursos que, além do certificado em si, também oferecem conteúdos específicos e certificações voltadas para o desenvolvimento da carreira — como na Pós +Carreira EAD UNIFSA. Ou seja, é possível aprender na prática!

Além disso, a curiosidade é uma ótima habilidade comportamental que não deve ser deixada de lado. Para ser um profissional em T, você deve fazer questão de exercitá-la. Para isso, pode ler livros sobre os mais variados assuntos e esteja em constante contato com as notícias e novidades do mundo.

Viu só como é possível se tornar um profissional T-shaped? Lembre-se de que atualmente é o perfil mais procurado pelas empresas devido aos benefícios que ele agrega ao local de trabalho.

Com as dicas do Blog do EAD UNIFSA, fica mais fácil percorrer o caminho até se tornar um!

Mercado de Trabalho

Veja mais conteúdos da UNIFSA sobre EAD e educação

Desligamento humanizado: conheça o processo de outplacement

Você já ouviu falar no outplacement? Embora ainda não seja adotado amplamente, este é um processo que vem ganhando ...
13 min de leitura

8 empresas que se destacam no mercado com ações socioambientais

Sustentabilidade e desenvolvimento social não são uma moda passageira. Eles já impactam os processos de organizações de ...
23 min de leitura

O que é Economia Criativa e como trabalhar na área

A economia criativa é um setor da economia relacionado ao entretenimento e à cultura. 
14 min de leitura
Ver mais conteúdossobre Mercado de Trabalho